Veja quais os pontos mais vulneráveis a roubo de bicicleta em Pinheiros e saiba como se prevenir

Ciclista AP

Saudável, barata e ecologicamente correta. Vantagens como essas – além da ampliação das ciclovias – têm feito com que mais pessoas recorram à bicicleta para se locomover em São Paulo. Não é diferente em Alto dos Pinheiros, que já organizou três grandes passeios ciclísticos. Porém, ao mesmo tempo em que se populariza, esse transporte vem ser tornando mais visado por criminosos.

O geólogo Sasha Hart, membro do Grupo de Trabalho de Mobilidade do Cades/Pinheiros (Conselho Regional de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Cultura de Paz), afirma que os dados oficiais, embora limitados pela subnotificação, e a quantidade de relatos de roubos e furtos de bicicleta que chegaram diretamente ao conselho têm mostrado crescimento em 2017.

“Identificamos quatro focos principais de ocorrências: no Largo da Batata, próximo ao Instituto Tomie Othake, dentro do Parque Villa-Lobos e nos arredores da Ceagesp [Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo], que possivelmente é a região mais crítica”, aponta. Há também problemas em trechos mal iluminados das avenidas Pedroso de Morais e Professor Fonseca Rodrigues.

“Porém, é preciso lembrar que somos uma das regiões que mais concentram ciclistas na cidade e, segundo o contador automático da CET localizado próximo do Largo da Batata, foram cerca de 1 milhão de viagens de bicicletas por ano, com tendência de crescimento ”, pondera Hart. Segundo ele, as mulheres são vítimas frequentes, especialmente quando pedalam sozinhas. Em geral, a abordagem é feita por “pequenos grupos de jovens que esperam uma pessoa passar sozinha e a empurram da bicicleta, levando o veículo embora.”

O aumento no número de ocorrências está diretamente ligado ao uso mais frequente desse veículo, de acordo com o capitão Pedro Ferreira da Cunha Neto, do 23º Batalhão da Polícia Militar. “Ultimamente, passou-se a usar mais a bicicleta, e muitas têm alto valor, o que explica por que são mais visadas pelos criminosos.”

Prevenção

Uma forma de diminuir os riscos é evitar pedalar sozinho em locais isolados e em horários de pouco movimento. Caso em determinado dia você não tenha alguém para acompanhá-lo, espere outro ciclista passar e siga junto dele.

“Apenas essa atitude já ajuda a reduzir bastante os riscos. Outro problema que temos enfrentado são furtos de bicicletas dentro de garagens. Neste caso, é importante trancar as bicicletas para desencorajar a ação dos ladrões”, recomenda Hart.

Se, mesmo tomando essas precauções, você for vítima de roubo ou furto, registre a ocorrência – isso é fundamental para o trabalho da polícia e para alimentar banco de dados que possam ajudar todos na prevenção. “Guardem o número de chassi da bicicleta e façam boletim de ocorrência. Com isso, caso o infrator seja abordado, nós temos como verificar se a bicicleta que está com ele consta em nosso banco de dados, para devolvê-la ao proprietário”, diz o capitão Cunha Neto.

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s